Previsão de dividendos 2020 – atualização

em

No início do ano escrevi este artigo onde fiz uma previsão dos dividendos que seriam gerados pelos mesmos investimentos durante o ano. Agora, passados 6 meses, vamos tentar perceber os desvios em relação a essa estimativa.

Previsão inicial

Recuperando a estimativa anterior, no início do ano estava assim definida:

Nesta altura tinha previsto receber $199,63 em dividendos ao longo do ano no caso do meu portfolio se manter inalterado. Com o cambio da altura, daria cerca de 179,52€ e uma taxa de retorno ilíquida de 4,31%.

Claro que o meu plano sempre foi investir de forma frequente e consistente ao longo do ano, pelo que esta estimativa serviria apenas para uma análise da evolução dos investimentos e da minha estratégia. Como tal, nunca esperei que este valor fosse ser cumprido.

Atualização

Desde janeiro adicionei 1.566,00€ ao portfolio, em linha com o que tinha previsto (5 meses x 300,00€ por mês). Esta adição que fez evoluir a minha estimativa:

Como se pode ver no quadro anterior, o meu investimento desde janeiro fez subir o total de dividendos previstos para 2020 em cerca de 43,71€, sendo agora 223,23€.

Durante este período algumas empresas do meu portfolio, como a Johnson & Johnson (JNJ) e a Realty Income (O), por exemplo, subiram o seu dividendo apesar das dificuldades impostas pelo confinamento mundial.

Estas subidas são importantes para proteger o valor dos dividendos dos efeitos da inflação. No entanto, as empresas de qualidade sobem, normalmente, os seus dividendos em percentagens muito superiores à inflação o que, na prática, permite melhorar o rendimento obtido dos investimentos ao longo do tempo.

O valor investido neste período foi utilizado para aumentar o número de empresas do meu portfolio e melhorar a sua diversificação. Esta tarefa ainda não está concluída pois o meu objetivo é ter um portfolio com cerca de 30 empresas e, neste momento, apenas são 22.

Dividend yield

Apesar das dividend yields das empresas terem estado bastante superiores ao normal durante a queda dos mercados de março, as aquisições que fiz durante esse período foram num valor pequeno em relação ao valor do portfólio.

Mesmo assim, os novos investimentos provocaram uma subida da taxa de retorno prevista de 4,31% para 4,84%.

2º Semestre

Para o segundo semestre do ano, o meu plano é manter a estratégia delineada, investindo mensalmente o valor que planeei. Se surgirem boas oportunidades, irei aplicar mais algum dinheiro que tenho de lado para esse efeito.

Até ao momento ainda nenhuma empresa do meu portfolio reduziu ou cancelou o seu dividendo para responder aos desafios colocados por esta crise do COVID. Isso ainda poderá acontecer e provocar desvios à minha estimativa. No entanto, como a minha estratégia é focada no longo prazo, estes percalços não se irão notar nos resultados daqui a 20 anos.

Conclusão

A parte mais difícil da aplicação de uma estratégia de investimento focada no crescimento de dividendos é o seu início, os primeiros anos.

Nesta fase, o valor dos dividendos recebidos é baixo porque o valor da carteira de investimentos também é baixo e poderá provocar alguma desmotivação em alguns investidores.

Receber dividendos de cêntimos ou de poucos euros não é suficiente para desencadear o efeito dos juros compostos, que será o grande impulsionador do retorno dos investimentos daqui a algum (muito) tempo.

Há uma analogia que gosto de partilhar acerca deste tema.

Investir em dividendos é como criar uma bola de neve no cimo de uma montanha. Quanto maior for a montanha (tempo), maior se tornará a bola quando chegar ao sopé. De igual forma, quanto maior for a bola criada no cimo da montanha (investimento inicial), maior será a bola quando chegar ao sopé. Em ambas as situações, a bola vai crescendo à medida que desce a montanha e quanto maior se torna mais rapidamente cresce (em resultado dos acréscimos de investimento e do efeito dos juros compostos resultantes dos pagamentos e reinvestimento dos dividendos).

É preciso realçar que, mesmo enquanto não se verificar o efeito dos juros compostos, a taxa de rendimento obtida apenas pelos dividendos, que no meu caso é de mais de 4%, é bastante superior à maior parte dos produtos disponíveis aos investidores, para não falar da previsível valorização das ações no longo prazo.

Temos que passar por esta fase inicial e colocar o foco no objetivo de longo prazo.

Bons investimentos.

RBhttps://www.casacomtodos.com
Informático, de profissão e vocação, adora fazer caminhadas, correr, ver séries e ler livros de finanças pessoais. Destas, apenas 2 são mesmo verdade.

Deixar um comentário

ATUALMENTE A LER

MAIS POPULARES

COMENTÁRIOS RECENTES