Mudança de corretora

em

Como indiquei no relatório mensal de março, mudei novamente de corretora.

Degiro

Quando iniciei a construção do meu portfolio, escolhi a Degiro para esse efeito. Na altura pesquisei bastante e foi a que me pareceu mais adequada à minha situação. Eu queria investir em ETF’s e a Degiro apresentava um conjunto apreciável de opções, incluindo uma lista de ETF’s sem qualquer custo mediante determinadas condições. Para além dos ETF’s gratuitos, tinha custos muito baixos e um bom conjunto de produtos disponíveis para investimento.

As únicas desvantagens que via na Degiro era não ter possibilidade de produzir relatórios úteis para o preenchimento do IRS, não ter uma conta bancária associada , pelo que o dinheiro à ordem era automaticamente investido num fundo monetário com uma rentabilidade negativa, que a Degiro assumia até um determinado montante (na altura, pois desde que foi adquirida por um banco alemão, isto já não acontece) e também o resumo de movimentos de conta ser demasiado confuso, com frequentes trocas de dinheiro entre a conta, o fundo monetário e, agora, a conta bancária associada.

Quase um ano depois, depois de muita investigação, decidi alterar a minha estratégia de investimento para uma estratégia mais ativa e motivadora e troquei os ETF’s por ações de crescimento de investimentos.

A minha primeira compra, para experimentar a negociação em ações, foram ações da Apple no último dia de 2018. Lembro-me de ver que elas tinham baixado significativamente de preço durante os anteriores 3 meses e pensei que teria que ser algo provisório, pois é uma empresa inovadora em que acredito que irá continuar a valorizar por muitos mais anos.

Como era apenas uma experiência, não quis aplicar muito dinheiro e comprei apenas duas ações, no valor total de 277,14€.

Só uma nota, como podem ver no gráfico de baixo, desde o momento da compra (assinalado pela seta) até hoje, a Apple valorizou significativamente e os meus 277€ que me custaram as duas ações hoje valem cerca de 900€. Além disso, a empresa ainda me paga dividendos de 3 em 3 meses.

Trading 212

Estava a construir, a pouco e pouco, a minha carteira quando, em fevereiro de 2020, fiquei a conhecer a Trading 212, uma corretora Inglesa muito falada devido à ausência de custos de transação de ações e ao seu conjunto de funcionalidades e visual muito semelhantes a uma corretora muito conhecida americana.

Decidi abrir conta para experimentar visto não ter qualquer custo e as primeiras impressões foram muito boas. Apesar de tanto a Degiro como a Trading 212 serem corretoras de baixo custo, na Degiro pagava cerca de 0,53€ por transação em ações americanas enquanto na Trading 212 não pagava nada. Além disso, a aplicação da Degiro tem uma aparência muito fraquinha e a da Trading 212 é muito apelativa visualmente. Depois a Trading 212 lançou a funcionalidade das “pies” e permitia a transação de frações de ações enquanto a Degiro não. Fiquei rendido.

Encarei a Trading 212 como uma oportunidade de diversificar corretoras e, embora utilizando ambas, passei a dar-lhe preferência para as novas compras até o valor da carteira fosse semelhante ao que tinha na Degiro.

A Trading 212 permitia o reforço da conta através de cartões de crédito, o que fazia com que o valor depositado ficasse imediatamente disponível mas, em contrapartida, qualquer levantamento seria feito para o mesmo cartão. Como o meu objetivo era e é fazer crescer o meu portfolio durante muitos anos, preocupava-me que quando quisesse levantar uma soma maior não tivesse possibilidade de escolher o método de transferência de uma forma prática.

Da mesma forma que a Degiro, a Trading 212 não tem funcionalidades de relatórios, pelo menos para os investidores fora do Reino Unido, o que faz a tarefa de preenchimento do IRS bem mais árdua.

Outra característica que não me agrada na Trading 212 é que esta utiliza outra corretora, a Interactive Brokers, como intermediário para a negociação, o que introduz um fator de dependência e de atrasos em determinados eventos como o pagamento de dividendos. É comum a Trading 212 pagar os dividendos com vários dias de atraso em relação à data de pagamento.

Além disso, já neste ano de 2021, a Trading 212 tem visto consecutivamente a introduzir, embora baixas, novas comissões o que me criou uma certa instabilidade e indecisão sobre se a considerava como uma corretora a utilizar nos próximos 20 anos.

Claro que, com um tamanho do portfólio como o meu, estes não são fatores determinantes na escolha de uma corretora, mas criam a imagem que não estamos a utilizar um serviço profissional.

Nova corretora?

Embora continuasse satisfeito com ambas, no mês passado vi um vídeo no Youtube de um investidor português que mudou de corretora e me pôs a pensar.

Visto que o meu objetivo de investimento é de longo prazo e que espero conseguir construir um portfolio de valor significativo para a minha realidade, será que vejo a Degiro ou a Trading 212 como as minhas corretoras para quando chegar essa altura? Achei que não.

Tanto a Degiro como a Trading 212 são excelentes corretoras para compra e venda de ações a baixos ou nenhuns custos, mas não produzem mais nenhum valor acrescentado ao investidor. É isso e mais nada. É nisso que são boas.

Se quiser fazer analisar a informação financeira de uma empresa em que possa estar interessado, se quiser fazer uma análise à composição do meu portfolio, etc, tenho que utilizar outras aplicações complementares. Se quiser ter relatórios detalhados seja do que for, também não posso contar com essas corretoras.

Ao nível da segurança e da confiança também não ficaria muito descansado quanto o meu portfolio atingisse valores mais significativos que os atuais.

Resolvi então estudar as corretoras existentes para perceber se existia alguma mais “profissional”, segura, com mais e melhores serviços e mantendo os custos baixos. Como a mudança do portfolio para outra corretora acarreta custos elevados, a fazê-lo deveria fazê-lo enquanto o valor do meu portfólio ainda é baixo.

Só para dar um exemplo, o meu portfolio à data em que fiz esta análise, apresentava uma valorização de cerca 1.700,00€. Como nem a Degiro nem a Trading 212 fazem transferências de carteiras para outras corretoras, só de IRS teria que pagar cerca de 500€ para vender todas as posições e comprar novamente na nova corretora. Como o objetivo é que tanto o meu portfolio como a sua rentabilidade cresçam bastante nos próximos 15 a 20 anos, quanto mais tarde fizesse esta alteração mais custos teria.

Eu sei que o meu portfolio ainda está no início da sua construção e, se calhar, ainda não merecia preocupações deste género mas, como se vê na demonstração anterior, quanto maior for o seu valor, mais terei que pagar por erros cometidos no passado.

Depois de bastante investigação, decidi optar por mudar o meu portfolio inteiro para a Interactive Brokers.

Nova corretora: Interactive Brokers

A Interactive Brokers é uma das mais conceituadas corretoras a nível mundial. Com 43 anos de existência e presença no mundo inteiro, serve investidores institucionais e particulares dando-lhes acesso a uma grande variedade de classes de ativos (incluindo ações, opções, futuros e títulos) em 125 mercados de 31 países, usando 22 moedas e disponibiliza uma gama de plataformas de negociação sofisticadas, recursos educacionais, pesquisa e análise de mercado.

Embora seja mais vocacionada para traders ativos, que efetuam muitas transações e com bastante frequência e não tanto para investidores do tipo buy and hold, mais passivos como eu, apresenta várias vantagens mesmo para mim.

Mudança de broker IB

Em primeiro lugar é uma corretora que oferece bastante segurança, por ser uma das mais antigas e maiores a nível mundial. Está também cotada em bolsa pelo que é obrigada a publicar a sua informação financeira e não corre o risco de falir sem aviso prévio.

Os custos de transação situam-se no valor dos praticados pela Degiro mas, ao contrário desta, permite a compra de frações de ação, o que é importante para quem quiser investir em empresas como a Amazon, em que uma ação hoje custa cerca de 3.350,00€, ou na Google que está a 2.264,00€ e não possa despender estes valores para ter uma ação.

Apesar do interface não ser dos mais amigáveis em nenhuma das plataformas que oferece, tem um elevado nível de customização, o que nos permite selecionar o que queremos ver tendo em conta a informação que é mais importante para nós.

Tem uma grande variedade de relatórios e permite-nos também criar os nossos próprios relatórios com base nos vários blocos de informação disponíveis, o que facilita bastante por exemplo o preenchimento do IRS.

Ao criar a conta e seleccionar como moeda base o Euro, como as transações nos EUA são feitas em Dólares, é criada também uma posição nesta moeda, sendo que os dividendos são recebidos em USD e não afetados pelo câmbio. Posso, por exemplo, depositar um valor em EUR e convertê-lo para USD para ir utilizando quando quiser.

Mas como não podem ser só coisas boas, também tem alguns aspetos menos positivos. Por exemplo, recentemente as plataformas têm estado bastante instáveis e perdem a conexão com bastante frequência, talvez devido ao número elevado de novas contas que foram abertas nesta fase da pandemia.

Apesar dos custos de transação serem baixos, a IB tem custos que eles chamam taxa de inactividade para contas com património inferior a $100.000,00. Assim, se as comissões geradas pelas transações efetuadas no mês não atingirem $10,00, serão cobrados $10,00. Por exemplo, se eu num mês fizer transações em que paguei $2,00 em comissões, no fim do mês ainda irei pagar mais $8,00 de taxa de inactividade. Como nos primeiros três meses não se paga esta taxa, ainda não consegui perceber se estes valores são em euros ou em dólares.

Para além desta taxa, as cotações apresentadas nas várias plataformas têm um atraso de entre 10 a 20 minutos. Para ter as cotações em tempo real é necessário pagar uma subscrição, embora seja possível pedir 100 snapshots da cotação atual de uma ação individual por mês. Cada snapshot adicional custará $0,01. Para mim esta não é uma limitação importante pois eu invisto no longo prazo e não valorizo as diferenças que uma cotação possa ter em 20 minutos.

Penso que estes pontos negativos serão temporários. A infra-estrutura será melhorada e as taxas serão eliminadas mais tarde ou mais cedo, pois todos os anos novas fintechs são criadas e oferecem um serviço semelhante sem custos e quem quiser manter-se no mercado terá que acompanhar a tendência.

Conclusão

Não é o meu objetivo fazer neste artigo uma análise detalhada da Interactive Brokers, nem o conseguiria fazer neste momento pois a plataforma é complexa e há muita coisa que ainda desconheço.

Existia a possibilidade de manter as minhas posições nas corretoras e apenas utilizar a IB para as novas compras, mas depois seria mais difícil aplicar rapidamente os dividendos recebidos pois são de valores pequenos, iria perder valioso tempo para analisar a performance da carteira, para calcular os valores para o IRS, etc.

Neste artigo queria apenas partilhar os motivos que me levaram a mudar. O futuro dirá se fiz bem ou mal, pois eu também não tenho muitas certezas.

Algum de vocês utiliza a Interactive Brokers e quer partilhar a sua opinião sobre esta corretora?

RBhttps://www.casacomtodos.com
Informático, de profissão e vocação, adora fazer caminhadas, correr, ver séries e ler livros de finanças pessoais. Destas, apenas 2 são mesmo verdade.

4 COMENTÁRIOS

  1. Comecei a investir devido a este blogue. Também tenho conta na DeGiro e Trading 212 e xtb. Queria colocar o portefolio todo numa plataforma mas fico insegura em colocar todos os ovos na mesma cesta.. vou pesquisar sobre a IB. será que pode dizer qual o vídeo que viu?

    • Olá Tânia,

      O video que vi foi este:

      Apesar de não concordar com tudo, o que é normal pois cada um deve pensar por si, sigo este canal português e acho-o bastante interessante.

      Obrigado pela visita e bons investimentos.
      RB

  2. Gostaria que pudesses num futuro próximo falar sobre os custos desta correctora. Pois para alguém que começou a investir os custos que a correctora cobra não serão um encargo elevado?

    Continuação de bons investimentos.

    • Olá Filipe,
      Os custos são os tais 10€ por mês, excepto se a soma das comissões das transações superarem este valor.

      As comissões, na modalidade Tier, variam entre $0,32 e $0,38 (como na Degiro). Para dar um exemplo, quando comprei as 28 posições do meu portfólio paguei em comissões $10,38. Num mês normal, em que faço duas ou três transações no máximo, irei pagar os 10€ mínimos.

      Se é um encargo elevado ou não, eu acho que depende do tamanho do portfólio e da forma de pensar de cada um.

      Eu queria ter o meu portfólio todo na mesma corretora e, para isso, teria que ser segura e com melhor reputação possível, mesmo que não fosse gratuita.

      No meu caso, o custo é de cerca de 1% ao ano do valor do meu portfólio (com tendência para diminuir à medida que o portfólio cresce), ou seja, inferior às comissões de gestão de um fundo de investimento comum. Mas também preferia não pagar nada 🙂

      Agora, se estou disposto a para o mesmo valor pelo Netflix ou pelo Spotify, na minha opinião e uma perspectiva a longo prazo, mais depressa tenho que estar disponível para pagar 10€ por mês para ter o meu dinheiro seguro.

      Mas isto é apenas a minha opinião. Não estou a tentar convencer ninguém.

      Obrigado pela visita e bons investimentos.

Deixar um comentário

ATUALMENTE A LER

MAIS POPULARES

COMENTÁRIOS RECENTES