Finanças Pessoais: EUA vs Resto do Mundo

em

Este é um desabafo sob a forma de post.

Não acredito que seja possível, pelo menos para a maioria das pessoas, fazer uma gestão adequada das suas finanças pessoais sem ter um plano delineado, com metas a atingir e os passos a executar para os atingir.

Após colocar esse plano em prática, é necessário monitorizar frequentemente a sua execução e aplicar medidas para fazer face aos desvios que surjam.

No dia a dia, para mim não é suficiente verificar o saldo das contas e fazer contas mentais de como será no fim do mês. Preciso, além do saldo, de poder verificar facilmente as contas que ainda vão chegar, quanto já gastei e em quê e quanto ainda tenho disponível para não ter surpresas indesejáveis.

Para isso, há muito que me habituei a registar todas as despesas no momento em que elas acontecem ou, o mais tardar, ao fim do dia. Na mesma altura, dou uma vista de olhos ao panorama das minhas finanças e ao que vai acontecer nos próximos dias.

Depois, mensalmente, verifico os desvios em relação ao planeado e tento delinear soluções para os corrigir.

Cada um tem a sua forma de gerir o dinheiro. Pode-se usar uma folha de cálculo, um bloco de notas, etc. mas no meu caso é obrigatória a utilização de um software dedicado que me ajude em todas estas tarefas. Tem que ser uma aplicação prática, que ande sempre comigo e que me dê a informação que necessito sem ter que fazer um grande esforço.

Quem acompanha este blog sabe que utilizo há muitos anos a aplicação You Need a Budget (americana), que facilita a criação de orçamentos e a sua monitorização, como descrevi neste artigo. É a melhor aplicação para o que faz mas apenas faz isso mesmo, gestão de orçamentos mensais e cobra-se bem para o fazer. No meu caso, pago $45,00 anualmente pois sou cliente de versões anteriores, mas um novo cliente pagará $84,00 por ano.

Este ano, devido a ter iniciado o meu plano de investimentos, senti a necessidade de utilizar uma aplicação mais completa que, além dos orçamentos, me permitisse gerir e monitorizar a minha carteira de investimentos e o meu património.

Depois de muito pesquisar, resolvi experimentar os 30 dias gratuitos da aplicação Banktivity 7 (americana), que muitos indicaram como sendo a melhor para macOS. Passados os 30 dias de teste comprei-a por um valor único de $70,00 pois permite fazer tudo o que necessito, apesar de ter uma falha na parte dos investimentos que me irrita profundamente.

Agora, após 3 meses de utilização desta aplicação, fiquei a saber a nova versão já será paga sob a forma de subscrição que, para manter as funcionalidades que tenho hoje, me custaria cerca de $90,00 anuais e, por isso, está fora de questão.

Apesar de poder manter a versão que tenho hoje totalmente funcional, ela deixará de receber novos updates, com novas funcionalidades e correções de erros e até mesmo de ter suporte.

Resolvi pesquisar novamente que alternativas existem no mercado e, por isso, este meu desabafo.

As melhores aplicações são todas americanas. O problema é que a maior parte delas apenas funcionam nos EUA e no Canadá.

Aplicações como o Quicken, o Mint e o Personal Capital, por exemplo, não estão disponíveis para os consumidores europeus e alternativas de qualidade para estas aplicações simplesmente não existem. Existem algumas que funcionam mas que não têm as mesmas funcionalidades e algumas até com uma aparência gráfica de anos 80.

Mas porque é que essas empresas não têm interesse em obter clientes no resto do mundo? E porque é que, havendo esta falta, não existem empresas europeias a desenvolver e comercializar produtos idênticos, funcionais e de qualidade?

Em tudo o que tenha a ver com dinheiro, a Europa anda muitos anos atrás dos EUA e, pelos vistos assim vai continuar por muitos mais.

Para já, como a próxima anuidade do YANB é só em janeiro, vou utilizando estas duas até ao fim do ano para decidir qual userei a partir daí.

Espero que, em breve, possam surgir verdadeiras alternativas, como está a acontecer agora com as aplicações de investimento, como a Trading 212 e a FreeTrade que estão agora a começar a dar-nos as mesmas possibilidades que os americanos já tinham com a M1 Finance e a Robinhood.

RBhttps://www.casacomtodos.com
Informático, de profissão e vocação, adora fazer caminhadas, correr, ver séries e ler livros de finanças pessoais. Destas, apenas 2 são mesmo verdade.

Deixar um comentário

ATUALMENTE A LER

[td_block_16 sort=”popular” td_ajax_preloading=”preload” custom_title=”MAIS POPULARES”]

COMENTÁRIOS RECENTES