Ficar em Casa #12

em

Hoje é o 12º dia consecutivo em que não saio de casa, com exceção de uma visita rápida ao trabalho para obter o material necessário para trabalhar remotamente (a IM já teve uma saída para compras).

Desde o dia 18 que já estou a trabalhar remotamente pelo que o tempo livre já não é muito.

Trabalhar remotamente, para mim e na minha área, é quase como no emprego. As tecnologias hoje em dia permitem-nos fazer quase tudo de casa e mesmo as reuniões em grupo estão a concretizar-se sem dificuldades. Estão até a ser mais eficientes, pois começam à hora marcada (coisa rara no emprego) e não duram tanto como quando eram feitas presencialmente.


O que se perdeu em deslocações para o emprego perdeu-se também em exercício físico. Para combater o sedentarismo tenho bebido umas cervejas mas, ao fim destes dias todos, posso garantir que sempre que ouço dizer que a idade está na cabeça, a minha coluna parte-se a rir.

Instalei uma aplicação no telefone para fazer uns exercícios e até funciona muito bem. Tem um guia visual que permite que se acompanhem os exercícios e se façam corretamente. Ao fim de uns minutos já noto os efeitos na respiração e no ritmo cardíaco.

Já utilizei duas vezes, a primeira vez na semana passada e repeti ontem. Quero ver se na próxima semana faço mais um pouco. Não quero exagerar e correr o risco de fazer uma rotura e ter que ir ao hospital, pois não é boa altura para isso. Estranhamente, esta desculpa parece não convencer ninguém.


No que respeita às finanças pessoais, no entanto, a quarentena está a ser boa.

Algumas das categorias onde costumo gastar mais, como os transportes e restaurantes (o nosso grande pecado), estão a bater recordes.

Por exemplo, em restaurantes gastámos em média, cerca de 300€ por mês (inclui take-away) nos últimos 12 meses. No mês de março, como nem um franguinho assado podemos ir buscar, estamos em 75€.

Nos transportes, a média dos últimos 12 meses foi de cerca de 200€. Em março gastei 83€ e, se adivinhasse, não tinha gasto tanto pois comprei os passes mensais para os transportes públicos e não os cheguei a utilizar em número de vezes que compensasse o custo.


Publicidade

Estas poupanças estão a compensar a nova avaria do meu carro.

Sim, leram bem. Não estou a falar da avaria de fevereiro que vos falei aqui. Esta já é outra, desta vez na suspensão e aconteceu no último dia antes de entrar em quarentena. Felizmente resolveu-se no próprio dia mas infelizmente custou-me mais 200€.

Confesso que estou com alguma curiosidade sobre qual será a avaria de Abril.

O mais importante nestes dias é manter a saúde e a boa disposição. O resto se resolve.

E vocês? Espero que estejam todos bem.

RBhttps://www.casacomtodos.com
Informático, de profissão e vocação, adora fazer caminhadas, correr, ver séries e ler livros de finanças pessoais. Destas, apenas 2 são mesmo verdade.

Deixar um comentário

ATUALMENTE A LER

MAIS POPULARES

COMENTÁRIOS RECENTES