Dia internacional da sensibilização sobre a prevenção da violência contra pessoas idosas

em

Sei que este artigo não aborda um tema que seja objetivo deste blog, mas hoje comemora-se o dia internacional da sensibilização sobre a prevenção da violência contra pessoas idosas, e sendo uma temática que me toca bastante, não podia deixar passar o dia sem o relembrar.

Infelizmente, o nosso país está na lista negra dos piores no tratamento aos idosos. Estamos em 5º lugar num universo de 50 países europeus: 39% dos nossos idosos são vítimas de abusos. Estes números são revoltados e muito preocupantes.

Mais de metade dos nossos idosos vivem sozinhos, o que leva a que estejam mais sujeitos a abusos nas suas próprias habitações ou em casa de familiares, por filhos ou netos, ou até mesmo nos lares.

Devido à idade, representam um grupo bastante vulnerável, incapazes de lutar contra possíveis atos de violência e maus tratos, tornando-se, assim, um alvo fácil para a prática deste crime.

As razões que os levam ao silêncio são inúmeras, e de difícil compreensão a quem não é vítima. Muitas vezes, o próprio nem reconhece que está a ser negligenciado, seja por demência ou por não conhecer os seus direitos. Outros, porque vivem socialmente isolados e não sabem a quem se dirigir, ou por receio de sofrer represálias.

Quando falamos em violência, não nos referimos apenas às agressões físicas, a violência pode apresentar-se de várias outras formas:

  • Violência psicológica – é aquela que visa provocar intencionalmente dor no idoso, através de ameaças, insultos, humilhação, intimidação e proibição da prática de atividades.
  • Violência sexual – em que o agressor abusa do poder que tem sobre a vítima para obter gratificação sexual, sem o seu consentimento. Situações como obrigar a pessoa a presenciar atos sexuais ou despir-se sem o consentimento da mesma, também contam como violência sexual.
  • Negligencia ou abandono: a omissão de auxílio do responsável pela pessoa idosa em providenciar as suas necessidades básicas necessárias à sua sobrevivência ou o abandono no hospital, após alta hospitalar são também uma forma de violência perante o idoso. Hoje muito se discute a criminalização por abandono de animais (e bem), contudo o abandono de idosos não é considerado crime. Estranho, não?
  • Violência financeira: as burlas são atos de violência, infelizmente cada vez mais em voga. Recentemente e na sequência da pandemia que vivemos, quantos foram os idosos burlados por pessoas que se fizeram passar por médicos com a cura para o COVID-19. Muito comum, são também os casos em que os próprios familiares se apropriam das reformas dos idosos, deixando-os sem forma de subsistência, ou que os obrigam a fazer uma doação ou alteração de testamento em seu benefício.

Reconhecer os sinais destes abusos nem sempre é fácil, visto que grande parte das vezes não é assumido pela vítima, ou porque conhecemos os familiares e acreditamos que jamais seriam capazes.

Lesões sem explicação, fraturas, isolamento, nódoas negras, sangue na roupa interior, depressão não habitual, falta de condições de segurança da habitação e levantamentos significativos de dinheiro sem explicação, podem ser alguns exemplos de indícios que nos podem ajudar a identificar e denunciar esta situação.

O crime de Violência Doméstica é público, qualquer pessoa que saiba ou suspeite que uma pessoa idosa está a ser vítima deste crime tem a obrigação de denunciar. Não Consinta. Denuncie!

Não nos esqueçamos da velha máxima: “Os novos de hoje serão os velhos de amanhã”.

Artigo anteriorCookidoo da Bimby
Próximo artigoFinanças do casal
IMhttps://www.casacomtodos.com
IM, consultora de profissão, esposa e mãe por opção, dona de casa por obrigação. Uma apaixonada pela vida que quando não está a fazer o que gosta, está certamente a fazer o que não gosta.

Deixar um comentário

ATUALMENTE A LER

MAIS POPULARES

COMENTÁRIOS RECENTES