Como Organizar as Finanças Pessoais – Parte 0

em

À conversa com um amigo, vamos chamar-lhe João, sobre a pandemia e as suas consequências nas nossas finanças fiquei admirado sobre a quantidade de informação que ele desconhecia em relação às suas próprias finanças pessoais.

O João tem uma ideia do saldo das suas contas bancárias mas não sabe quanto paga de despesas bancárias nem de anuidades dos cartões de cada conta. Sabe os seguros que tem subscritos mas não sabe quais as coberturas e exclusões de cada um. Tem as poupanças num depósito a prazo e sabe que “não dá nada” mas não sabe a taxa de juro aplicada. Quando lhe perguntei quanto gastava mensalmente, em média, em restauração, não fazia a mínima ideia.

A relação do João com o seu dinheiro é muito desprendida. Ele sabe que, se tudo correr bem, naquele dia do mês vai receber o seu salário. Depois paga as suas contas, faz a sua vida normal e, no final do mês, se sobrar dinheiro, coloca-o de lado para poupar para as férias. Costuma sobrar? Às vezes, especialmente nesta fase de pandemia, mas quando lhe perguntei qual era o seu objetivo de poupança para as férias a resposta foi “o mais possível, depois vejo para onde dá para ir”.

Esta conversa fez-me ficar com os cabelos em pé. O João não gere o seu dinheiro. O seu dinheiro é que o gere a ele. Se tiver dinheiro vai de férias, se não tiver não vai. Faz alguma coisa para garantir que vai ter dinheiro quando chegarem as férias? Não.

Eu já fui assim. Penso que há demasiadas pessoas que o são.

Apesar de não ser nenhum especialista no assunto, como passei por isso e mudei a minha relação com o dinheiro, ofereci-me para partilhar com ele o método que eu utilizei e que funcionou comigo. Não fui eu que o inventei. Apenas pesquisei os imensos recursos sobre o tema existentes na internet e adaptei os vários conteúdos à minha realidade.

Já tinha descrito aqui, no início deste blog, uma primeira versão do meu plano. Ele foi sendo ajustado à medida que foi sendo posto em prática, pelo que resolvi reescrevê-lo de raiz.

Como penso que poderá ser útil para mais alguém, irei partilhar também aqui, ao longo de uma série de posts em que irei abordar, individualmente, cada uma das seguintes fases que o compõem:

1. Compreender a situação atual

Antes de definirmos para onde queremos ir, temos que sabe onde estamos. Assim, a primeira tarefa a executar é fazer um levantamento completo da situação atual.

2. Analisar de onde vem e para onde está a ir o dinheiro

Na sequência do ponto anterior, temos que identificar todas as nossas fontes de rendimento e as nossas despesas, diárias, mensais e anuais.

3. Estabelecer objetivos SMART

Conhecendo o panorama atual em detalhe, iremos depois enumerar vários objetivos e identificar o que queremos alterar ou melhorar com vista a atingi-los. Teremos que definir objetivos SMART, que é um sigla em inglês para dizer “Specific, Measurable, Achievable, Realistic and Time-Bound”, ou seja, objetivos específicos, mensuráveis, atingíveis, realísticos e com um prazo definido.

4. Criar um plano financeiro

Sabendo onde estamos (situação atual) e para onde queremos ir (objetivos), iremos depois que criar um plano que nos indique o caminho, que nos leve a poder atingir esses objetivos.

5. Criar um orçamento mensal

Depois do plano criado, é altura de o implementar no dia a dia. Para isso, vamos criar um orçamento mensal, realista e ajustável, que nos permita garantir que as nossas opções diárias vão de encontro ao que planeámos.

6. Monitorizar cumprimento do plano

Por fim, vamos criar mecanismos que auditoria e controlo que nos permitam identificar os desvios, porque irão acontecer, e tomar medidas para os mitigar e nos colocar novamente no caminho definido.

Por este plano ter funcionado comigo não quer dizer que funcione para todos. Cada um deve ter um plano ajustado à sua realidade. O que eu recomendo vivamente é que tenham um plano para poderem controlar as vossas finanças e atingir os vossos objetivos.

Gostaria também de pedir para partilharem os vossos contributos e a vossa experiência para enriquecermos os nossos conhecimentos juntos.

RBhttps://www.casacomtodos.com
Informático, de profissão e vocação, adora fazer caminhadas, correr, ver séries e ler livros de finanças pessoais. Destas, apenas 2 são mesmo verdade.

1 COMENTÁRIO

  1. Boa noite RB!

    Mas que grande generosidade estas a fazer ao partilhar não só o teu conhecimento mas o método que funciona contigo. É de louvar e por isso em meu nome, Muito Obrigado!

    Eu sou um das demais pessoas, tal como o João, que necessita de criar hábitos financeiros. Pois como referes E BEM, temos que ter o dinheiro a trabalhar por nós e não o oposto.

    Irei acompanhar a tua partilha nos próximos tempos.

    Já agora, Bom Ano!

    Cumprimentos,
    AFC

Deixar um comentário

ATUALMENTE A LER

MAIS POPULARES

COMENTÁRIOS RECENTES