Audiolivros

em

Gosto muito de ler sobre assuntos em que tenho interesse.

Diariamente, leio um conjunto de blogs sobre temas que vão do desporto à tecnologia passando, claro, pelas notícias diárias do que acontece no nosso país e no mundo.

Leio também livros, quando tenho disponibilidade, sobre assuntos que quero conhecer ou aprofundar. Atualmente, são livros de finanças pessoais e investimentos.

Para conseguir ler um livro eu necessito de mais condições do que para ler apenas os últimos artigos de alguns blogs.

Em primeiro lugar, não me puxa pegar no livro quando sei que apenas vou ter 10 ou 15 minutos para lhe dedicar.

Depois, tenho que poder estar concentrado. Não necessito de silêncio. Consigo perfeitamente ler no café, até melhor do que se estiver num ambiente de completo isolamento. Não consigo é ler em situações em que tenho pessoas ocasionalmente a falar para mim.

Também não consigo ler muito cedo de manhã ou muito tarde à noite. Não posso ter sono.

Por isso, como já perceberam, para conseguir ler e tirar algum partido de um livro é necessário que alguns planetas estejam perfeitamente alinhados.

Há uns tempos a CristinaS, no seu blog Diário das minhas finanças pessoais, falou nos audiolivros e na flexibilidade que eles proporcionam, por exemplo, ao podermos ouvir a narração de um livro enquanto executamos outra tarefa, como conduzir, aspirar, lavar a louça, etc.

Como tenho uma hora de viagem diária para o trabalho e outra hora para voltar, poderia rentabilizar esse tempo a consumir livros. Resolvi então experimentar.

Publicidade

Aproveitando o período de experiência de 30 dias grátis, criei uma conta nos dois serviços que me parecem os mais populares, o Audible e o Scribd. Descarreguei uns livros para o telemóvel e tenho passado os últimos dias a testar estes serviços.

Não vou fazer uma comparação detalhada entre os dois serviços, pois ainda não os conheço em detalhe mas, resumidamente, as principais características de cada um são as seguintes:

Audible

  • É mais caro – $14,95 / mês
  • Apenas tem audiolivros e podcasts
  • A mensalidade dá um crédito que podemos trocar por um livro
  • Os livros que comprarmos são nossos mesmo depois de deixarmos de utilizar o serviço
  • Podemos trocar de livro se não gostarmos do que estamos a ler (ouvir)
  • É o serviço que tem mais conteúdos

Scribd

  • É mais barato do que o Audible, custa $8,99 / mês, mas tem menos conteúdos, especialmente os livros mais recentes.
  • Tem livros, audiolivros, e outros conteúdos que podem ser carregados pelos utilizadores
  • Podemos ler tudo o que quisermos já que não há limites para os downloads (é um tipo de Netflix para livros e Audiolivros)
  • Não somos donos dos conteúdos, por isso, se cancelarmos o serviço, ficamos sem nada

Primeiras Impressões

A experiência até agora tem sido extremamente positiva.

Ultimamente, as viagens de comboio para o trabalho são feitas a ouvir livros. Ouvir um livro é muito mais rápido do que ler, pelo que em menos de uma semana termino um livro e passo para o seguinte.

As narrações dos livros que ouvi são em inglês bastante percetível. Não tive até agora nenhum problema com dicções. Os narradores articulam e pronunciam as palavras de uma forma muito fácil de compreender e com uma pronúncia clara.

Os audiolivros que experimentei eram todos escritos em inglês. Sei que há também alguns em português, mas penso que a maioria serão em português do Brasil.

As respetivas aplicações funcionam bem e são intuitivas.

Conclusão

Comparativamente a ler o livro, para mim o audiolivro funciona melhor. Nas viagens liberta-me as mãos, e permite-me continuar a ouvir no restante trajeto do comboio até ao trabalho.

Como desvantagem vejo apenas uma. Sim, isto já aconteceu. Ao contrário do livro que, se adormecer na viagem fico exatamente na mesma página, no audiolivro o narrador ignora completamente o facto de eu já não estar cá e continua alegremente a sua tarefa.

Está mal feito. O telemóvel consegue perceber se estou acordado para desbloquear o ecrã. Então também podia ir olhando, de vez em quando, para mim para ver se eu estava a fraquejar. Quando sentisse que eu estava a ir para a terra dos sonhos, instruía o narrador para deixar de narrar o livro e, invés disso, cantar a música do Vitinho. Isso sim seria inovação tecnológica.

Estou seriamente a pensar em manter um destes dois serviços quando o período de experiência terminar.

A minha escolha está a pender bastante para o Sribd, pois é mais barato, permite ler quantos livros eu quiser e eu não faço questão que os livros sejam meus se cancelar o serviço.

Quanto ao preço, 8,30€ ao câmbio de hoje, não é barato mas também não me parece exagerado. São 30 cêntimos por dia para ter acesso a milhões de páginas de conhecimento e o conhecimento é o melhor investimento que se pode fazer.

É um pouco como o ginásio, só compensa se se utilizar com a frequência adequada. Quando achar que não estou a rentabilizar o investimento, cancelo o serviço.

E vocês? Têm outros serviços que possam recomendar? E livros?

RBhttps://www.casacomtodos.com
Informático, de profissão e vocação, adora fazer caminhadas, correr, ver séries e ler livros de finanças pessoais. Destas, apenas 2 são mesmo verdade.

Deixar um comentário

ATUALMENTE A LER

MAIS POPULARES

COMENTÁRIOS RECENTES