As N Formas de Ganhar Dinheiro em Casa

em

Já todos nós nos cruzamos com artigos que nos dão sugestões de como ganhar algum dinheiro em casa. Hoje, acordei a pensar neste tema e se conseguiria arranjar uma atividade para os meus tempos livres, que me permitisse aumentar os meus rendimentos. Estas foram as que eu analisei:

Alugar Quartos no Airbnb

Uma das formas de ganhar dinheiro extra é aproveitar o fato do turismo estar a crescer cada vez mais e alugar um quarto extra no Airbnb.

Eu quarto extra não tenho. Adorava ter um quarto só dedicado a estranhos cá em casa, mas não tenho. Tenho um quarto para o casal e um quarto para cada um dos nossos filhos e já não é nada mau.

O que eu tenho é uma cama de casal bastante grande. Cabe lá uma pessoa entre nós os dois à vontade. Talvez não uma daquelas pessoas típicas nórdicas, mas podia-me especializar no mercado asiático e da América do Sul.

Não é uma solução que eu veja que me fosse trazer grande retorno. Se calhar o que se ganhava mais até seria a poupança no aquecimento.

O problema é que é assim, a meter uma pessoa estranha na cama no meio de nós, que se apanham as doenças.

Tenho um tio que se meteu na cama com outras duas pessoas e agora tem herpes. E o herpes é para toda a vida.

Vender online as coisas que já não precisamos

Esta sim, já me parece uma boa ideia. Toda a gente tem uma grande quantidade de tralha que já não utiliza e que pode ser posta à disposição de um novo dono. Aliás até já falamos nisso neste artigo é uma das minhas resoluções de ano novo fazer exatamente isso. Então qual é o problema?

Bem, o problema é que eu tenho as coisas que não preciso na garagem. Como todos nós que temos casas em que o espaço não abunda, tudo o que deixa de ter uma utilização frequente vai para garagem, onde é organizado pelo método da ordem de chegada.

Agora, para conseguir separar o que poderia vender do que é apenas lix… recordações, tinha que passar lá umas horas valentes, talvez dias.

Publicidade

O problema é que a minha garagem é muito fria e húmida. Tem pó e aranhas. Eu sou uma pessoa que não tem alergias exactamente porque me tenho consigo manter longe destas situações de risco.

É, por isso, uma coisa a pensar lá mais para o verão.

Alugar a bicicleta

Há pessoas que acham que, aproveitando o tal aumento do turismo, podemos rentabilizar algumas coisas que tenhamos e que possamos dispensar ao turismo a troco de alguns euros.

Ora eu acho que tenho uma bicicleta arquivada na garagem, praticamente nova.

Lembro-me perfeitamente do dia em que a comprei. Era a mais bonita da loja. Cinzenta prateada a brilhar, quadro em alumínio aeroespacial ou o raio que o valha, que custou quase um rim para poder pegar nela com apenas dois dedos. Comprei-a e enfiei-a na garagem para não a estragar.

Então e se eu a alugasse?. Partindo do princípio que ela ainda está na garagem, claro. Mas deve estar. Não estou a ver um ladrão a tirar o resto das coisas arquivadas mais recentemente da frente para conseguir chegar à bicicleta.

Ponho um anúncio online e alugo-a ao turismo. Mas depois como é que eu sei que o turismo a devolve? Ter que me sujeitar ao pó e às alergias para depois ficar o dia todo em stress com medo de ficar sem ela? Não me parece.

Fazer comida para fora

Esta também boa. Teoricamente a pessoa aproveita os seus dotes culinários e faz comida para fora, por encomenda.Há quem faça sobremesas, rissois, bolinhos de bacalhau, etc.

Vou agora imaginar um mundo onde eu soubesse fazer realmente qualquer coisa na cozinha com alguma qualidade, que me permitisse rentabilizar o meu tempo livre. Vamos imaginar que eu sei fazer, sei lá, rissois.

Eu para cozinhar preciso de 2 coisas. Tempo, muuuito tempo, e vinho ou cerveja. Eu tenho que estar beber quando estou a cozinhar. E até gosto de cozinhar porque sei que quando terminar vou ter bastante alegria, independentemente do resultado da confecção.

O problema é que, além de ficar caro e eu não ter assim tanto tempo livre, quem me conhece sabe que quando eu estou perto de uma faca ou de um tacho quente há sempre um azar qualquer que acontece por isso, isto de cozinhar para fora é um risco enorme para a minha saúde.

Explicações

Esta então aparece sempre. Dar explicações a pessoas em idade escolar.

Começo já por dizer que não é para mim.

Ao fazer os trabalhos de casa com o meu filho mais novo eu vejo (e todos cá em casa) que eu não tenho a paciência necessária que a tarefa exige.

Quando o raio do miúdo bloqueia em alguma questão que me parece obvia, eu tento explicar da melhor maneira que encontro. Se ele continua sem perceber, eu tenho explicar exatamente da mesma maneira, por ser a melhor, mas em tom de voz mais alto. À terceira estou aos berros e o miúdo está nitidamente a ver se arranja alguma forma de sair dali rapidamente.

É importante conhecer-mos as nossas limitações e eu sou uma pessoa que se enerva com muita facilidade, por isso, para mim, dar explicações é meio caminho para um AVC. O meu próprio filho me diz que é melhor deixar as explicações quando eu já estiver mais perto dos 80 anos e com mais algumas poupanças no banco.

Conclusão

Pode ser por ser domingo e não me apetecer tirar o pijama nem sair do sofá. Se calhar amanhã vou olhar para estas e outras possibilidades com mais alguma abertura mas, visto daqui e agora, estou mesmo convencido que arranjar uma atividade para ganhar dinheiro em casa é muito perigoso para a minha saúde.

Bom domingo.

RBhttps://www.casacomtodos.com
Informático, de profissão e vocação, adora fazer caminhadas, correr, ver séries e ler livros de finanças pessoais. Destas, apenas 2 são mesmo verdade.

1 COMENTÁRIO

Deixar um comentário

ATUALMENTE A LER

MAIS POPULARES

COMENTÁRIOS RECENTES